Por que atletas devem trocar os abdominais ?

Um estudo interessante comparou a eficácia do treinamento “tradicional” com abdominais (flexão de tronco) com o de estabilidade para o CORE em testes de equilíbrio e desempenho atlético em jogadores juvenis de futebol.

A bateria de testes incluiu equilíbrio estático e dinâmico, equilíbrio dinâmico, agilidade, sprints, salto vertical e resistência (teste 12 minutos). Foram 12 semanas de estudo (3 x por semana)

O grupo convencional (n = 10) realizou exercícios de flexão do tronco ( ex: abdominais e variantes), enquanto o outro grupo estabilidade (n = 9) realizou exercícios de estabilidade para o CORE (ex: pranchas, pontes…). Quatro exercícios foram realizados em cada sessão com a intensidade progredindo ao longo do período de estudo.

Re-teste

Os pesquisadores relataram que, além do salto vertical e dos tempos de sprint (que melhorou significativamente em ambos os grupos), melhorias significativas em cada um dos outros testes foram observadas apenas no grupo estabilidade.

As evidências continuam favorecendo o treinamento de estabilidade do CORE em vez do uso dos “abdominais tradicionais”. As ações esportivas geralmente requerem coordenação e co-contração dos músculos do CORE para transferir força e estabilizar a coluna.

Por isso que tenho recomendado para quem faz o curso Periodização incluir no primeiro bloco (que geralmente é força), uma parte de CORE dentro da programação. Em vez de colocar os atletas para fazer inúmeros “crunches” considere utilizar exercícios de estabilidade do CORE.

Já está disponível o Curso Online sobre Periodização e Montagem de Treinos de força e potência.
Assista uma aula   Curso Periodização_aula inicial >>


Marque quem possa se interessar sobre o assunto.
Forte abraço! (João Coutinho)

Ref – Int J of Sports Physical Therapy, 2014. 9 (1), 47.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *