Periodização: Tapering

É conhecido como “tapering” o período para facilitar a recuperação após um período extenso de treinamento (ex: 12 a 16 semanas).O treino nas 2 últimas semanas antes da competição envolvem menor volume e / ou intensidade de treinamento. Infelizmente para os esportes de força/potência (LPO, Lev. Basico, Atletismo) grande parte dos estudos publicados sobre estratégias de “tapering” são feitos com atletas de endurance.

Zaras et al. (2014) comparou os efeitos de “tapering” com cargas pesadas (85% 1RM) vs cargas leves (30% 1RM) na força, potência, TDF e desempenho em competição em atletas (n=13) universitários de arremesso de peso. Os atletas avaliados competiram em dois torneios importantes.

Os pesquisadores dividiram os atletas em dois grupos (G1 e G2). O grupo G1 para o primiero torneio fez duas semanas de “tapering” com carga pesada e no para a segunda compeição cargas leves. O G2 fez o inverso. Foram testados pré e pós no arremesso de peso, 1RM, o salto vertical, a taxa de desenvolvimento da força (TDF) e a arquitetura muscular do vasto lateral.

Resultados

Os resultados mostraram que o desempenho nas competições melhorou significativamente em ambos os protocolos (entre 4-6%), porém, não houve diferenças significativas entre os grupos. “Tapering” com cargas pesadas resultou em melhores resultados em 1RM e TDF do leg press, e no squat jump. Com cargas baixas resultou em menos fadiga em comparação com as cargas altas. A arquitetura muscular não sofreu efeito.

Embora este estudo envolvesse arremessadores de peso, seria interessante testar esses protocolos com velocistas, saltadores, basistas…ou seja atletas que classifico de modalidades de força/potência.

Esse e outros assuntos relacionados a periodização na prática, principalmente para as modalidades intermitentes (futebol, rugby, tênis, lutas…) são os assuntos ensinados de forma prática no meu Curso Online Periodização. Veja como participar aqui  aqui  Curso Online Periodização

Marque quem possa se interessar sobre o assunto. Forte abraço!
(João Coutinho)

ref – J Strength Cond Res. 2014 Dec;28(12):3484-95

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *