Agachamento e sprints curtos!

Uma vez que a maioria dos esportes técnico-táticos intermitentes coletivos ou individuais (como no meu caso com o tênis) dependem de sprints de curta distância com rápidas mudanças de direção, a capacidade de acelerar tende a ser mais importante do que a da velocidade máxima.

Em um estudo realizado com 19 atletas profissionais de rugby profissional, foram testados em 1RM agachamento e nos tiros de 5, 10 e 20 metros antes e depois do programa de treinamento da pre-temporada de oito semanas. A média pré-treino para a força máxima e relativa (1RM / peso corporal) no agachamento foram de 170,6 ± 21,4 kg e 1,78 ± 0,27 kg, respectivamente. E ss tempos de sprint de 5, 10 e 20 m foram de 1,05 ± 0,06s, 1,78 ± 0,07s e 3,03 ± 0,09s, respectivamente.
Após as oito semanas, os níveis de força máxima e relativa melhoraram significativamente para 200,8 ± 19kg e 2,05 ± 0,21 kg,. Os tempos de sprint de 5, 10 e 20 m também melhoraram (0,97 ± 0,05s, 1,65 ± 0,08s e 2,85 ± 0,11s, respectivamente). Ao final o programa de treino resultou em um aumento de 17,7% na força máxima de agachamento, e um queda de 7,6% no tempo de sprint de 5 m, de 7,3% no tempo de sprint de 10 m e de 5,9% no sprint de 20 m.

É preciso destacar que os resultados devem ser interpretados com cautela, já que o programa de treinamento envolveu mais do que somente o treinamento de força, pois foi realizado com jogadores profissionais em situação real. Apenas o trabalho de força não os prepararia de forma adequada para a temporada. Portanto, o aumento da força no agachamento pode ser associado à melhora na aceleração mas não ser determinado como causador, pois outros treinos foram feitos (ex: pliometria)..

No entanto, os pesquisadores acreditam que o aumento de força contribuiu para um maior nível de força na fase de aceleração, o que poderia explicar a maior melhora nos tiros de 5 e 10m. Mesmo com as limitações sempre acho interessante estudos feitos em situação real pois podem dar boas pistas ou suporte para estudos mais controlados. Neste caso parece que orientar os treinos para aumentar a força no agachamento pode produzir benefícios na aceleração dos atletas.

Marque quem possa se interessar sobre o assunto. Forte abraço! (João Coutinho)

Próximos Cursos:

veja no 👉 www.treinamentoesportivo.com

ref – J Strength Cond Res. 2012 Mar;26(3):772-6.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *